sábado, 10 de junho de 2017

CAPA: Alexandre Won - Referência masculina quando se trata de ternos sob medida e caimento perfeito


A alta-costura masculina sempre existiu e sempre foi algo desejado por homens que tinham poder aquisitivo e queriam se mostrar impecáveis em ternos sob medida. Um serviço que sempre existiu e que hoje em dia está cada vez mais em alta, o terno sob medida. A alfaiataria, com isso, tem ganho alguns ícones nessa área como é o caso de Alexandre Won. De descendência coreana, desde criança esteve de certa forma ligado a moda graças a sua mãe que trabalhava como costureira e fazia suas peças sob medida para os clientes. Won, formado em Direito, apaixonado por moda, estudou e se especializou nesse até então novo negócio. Hoje, Won é um do homens mais respeitados quando se trata de alfaiataria masculina, vestindo de famosos a anônimos, com muito estilo e elegância. Especialmente, quando se trata de bespoke, termo que surgiu de quando uma roupa é feita para atender aos requisitos específicos e pessoais de um cliente, o que difere de uma roupa apenas feita sob medida. O próprio Won já é um símbolo dessa elegância e esse tom contemporâneo que ele passa para suas criações e fez disso sua marca registrada.

Alexandre, indo para o começo como foi o início de sua carreira na moda masculina? Sempre fui apaixonado por moda, arte e trabalhos manuais. Comecei a desenhar minhas próprias roupas e então, a me interessar cada vez mais pelo ramo. Como sempre me preocupei em me vestir bem, respeitando minhas formas e necessidades, notei que outras pessoas também passavam pelo mesmo problema: a dificuldade de encontrar algo exclusivo. Em 2006, surgiu a ideia de abrir uma alfaiataria, porque as roupas nunca ficavam boas no meu corpo. Fui a diversos alfaiates e nada me satisfazia, sempre ficava uma sobra. Foi então que decidi fazer o meu próprio terno e ver se dava certo, já que tinha aprendido técnicas de costura e modelagem com a minha mãe. Ela fazia as minhas roupas e as dos meus irmãos, quando éramos pequenos. 



Em que momento você considera que teve inicio sua notoriedade como um referência em alfaiataria nacional? Com o tempo ganhei segurança e know how no mercado bespoke. A entrega de produtos impecáveis fez com que eu ganhasse reconhecimento de formadores de opinião e do mercado nacional de alfaiataria.  

Você acha que a maior referência de moda masculina é a italiana? Acho que sim, mesmo por conta do volume de imigração italiana que tivemos no país, mas não é a minha referência principal. As minhas grandes inspirações vem da moda francesa, britânica, japonesa, coreana, enfim, é um mix de várias referências e culturas. 

Ainda em ralação à moda masculina nacional, qual sua impressão quanto ao desejo do homem no momento da compra de um terno? Tecido? Corte? Acabamento? Hoje, os homens estão mais abertos para experimentar e ousar em relação às roupas que vestem. No entanto, vejo que há muito o que evoluir em relação á moda masculina nacional, já que temos poucas opções que acompanham a demanda atual. 

Você acha que nossas fabricas de tecido são equivalentes em qualidade às internacionais? Embora os fornecedores de tecidos sejam muito bons no Brasil, as fábricas internacionais têm mais tradição na produção de matéria prima específica para alfaiataria. 

Em sua maioria, seus clientes optam por tecidos importados? Sim, a maioria dos meus clientes optam por tecidos importados. 

No momento em que você está com um de seus clientes, quais as informações que você procura obter para oferecer um produto adequado? Eu observo atentamente os movimentos do corpo de cada cliente, como ele senta, como ele anda, qual a sua postura, entre outros movimentos característicos. Além disso, eu procuro ler e entender o corpo e o lifestyle de cada um. 


Quais são seus principais critérios para considerar um homem elegante? A elegância está muito além da roupa que você veste. Ser elegante é ter autoconfiança, educação, é a forma como você se apresenta para o mundo. É tratar bem o próximo, sem esperar algo em troca. 

Atualmente, você considera que o brasileiro está mais atento à moda? Acho que o brasileiro está ficando mais atento sim, mas a moda brasileira ainda é muito atrasada em relação a países que têm tradição nesse mercado, o que acaba limitando o acesso às informações que o brasileiro tem para atender suas expectativas de consumo de moda. 

No momento da compra, o homem considera a opinião da mulher como fundamental? Sim, muitas vezes a mulher tem grande peso na escolha do marido quando ele está escolhendo uma roupa, infelizmente. 

Quais são suas referências de elegância masculina? Para mim os homens da década de 40 e 50 são referencias de elegância masculina. 

Para um noivo, qual a cor de terno que considera mais adequada? Não acredito que tenha uma cor adequada para o noivo, como uma regra. Temos que considerar muitos pontos para tomar essa decisão. Sempre procuro saber o que a noiva vai vestir no dia do casamento, para que os dois usem roupas que conversem entre si. Nesse dia o casal tem que ser um só. Fora isso, temos que levar em conta todo um contexto que envolve a festa atrelado ao lifestyle do noivo. A partir desses pontos, conseguimos escolher a cor ideal para cada um usar nesse dia tão especial. 

O que é estilo? E como identificar alguém que tem estilo? Ser autêntico, se conhecer e conhecer seu corpo e respeitar você mesmo, é ter estilo para mim. Acredito que as pessoas são únicas. Logo, cada um tem seu próprio estilo. 

Se fosse dar um único conselho a um homem que pretende ser elegante, qual seria? Seja autêntico, verdadeiro consigo mesmo e muito educado.