sábado, 16 de setembro de 2017

ESTRELA: Nossa PopStar Sabrina Parlatore é música para os olhos

A campinense Sabrina Parlatore começou a carreira ainda na adolescência. De mala e cuia foi sozinha começar a vida nas passarelas de modas e comerciais no Japão. Não demorou muito tempo para ela estar para a telinha. Durante cinco anos apresentou seis programas na MTV, onde acabou virando musa e atraindo uma legião de fãs. Fez reportagens para Telecurso 2000 e depois foi para a Band, TV Cultura e o canal a cabo Glitz e trabalhou como apresentadora do Red Carpet no Oscar. Em 2016, a estrela lutou contra um câncer de mama. Hoje após superar a doença, se dedica também a dar voz e força as outras mulheres que tem ou tiveram problema semelhante. Como se não bastasse, ela também canta. E muito bem! Recentemente ela foi uma das finalistas do POP STAR. Curta o show, quer dizer, a entrevista com nossa estrela, que posou para este ensaio exclusivo para a MENSCH no Skull Bar, em São Paulo.

Sabrina, você começou sua carreira aos 15 anos como modelo, viveu no Japão trabalhando como moda, publicidade e TV. Qual foi a maior dificuldade no início? Acho que a maior dificuldade é quando se é muito nova. Eu comecei com 16 anos a trabalhar como modelo, fui quatro vezes ao Japão, e acho que maior dificuldade é a gente ainda ser muito ingênua quando novinha. É difícil ter que lidar com a malícia das pessoas mesmo as que trabalham e convivem com você. Imagina, muito novinha, morar sozinha no Japão tendo que fazer tudo, me virar... Não foi fácil não. Mas a minha mãe sempre confiou muito em mim e acho que isso acabou me gerando um amadurecimento precoce. Eu sempre fui uma menina de muita responsabilidade, de muito pé no chão e graças à Deus tudo deu certo.


Você entrou na MTV em 1995 e acabou se tornando apresentadora de vários programas. Como foi sua experiência na casa? A minha experiência na MTV foi a melhor possível, tanto que ainda sou reconhecida como “a Sabrina da MTV” e acho que serei sempre. Foi uma experiência incrível. Acho que eu não tinha noção do que significava tudo aquilo. MTV foi a primeira TV segmentada para jovens e na época só tinha ela praticamente e a gente era referência para todos os adolescentes da época. E isso era muito importante. Foi uma experiência maravilhosa. Foram cinco anos que parece que foi mais tempo do que isso e lá me tornei muito conhecida e aprendi muito. Comecei crua de tudo, fui amadurecendo e aprendendo com o universo da música, conhecendo muita gente ligada a esse universo, que é uma paixão minha desde daquela época. E foi maravilhoso. A MTV era uma mãezona. A gente era muito amparada em todos os sentidos. E todos nós, VJs, éramos muitos colegas, muito amigos. Era um ambiente muito saudável, onde todo mundo torcia por todo mundo, não havia competição entre nós apresentadores, e sim uma amizade e uma torcida para que todo mundo fosse bem e obtivesse sucesso. Esse é o clima ideal de um ambiente de trabalho. Então era um ambiente muito saudável, muito bacana.

Você possui um extenso currículo como apresentadora, tendo passado por várias emissoras, sempre à frente de produtos de sucesso. Toda essa facilidade e carisma exige técnica ou é algo natural? Como funciona? Olha, aprendi tudo na raça mesmo, sabe? Fui adquirindo experiência com a profissão, com trabalho mesmo, com o dia a dia, fui aprendendo... Então eu não sei. Eu acho que existe algo de natural em mim que as pessoas gostam e entendem uma certa espontaneidade que acho bom, uma credibilidade muito grande e isso as pessoas falam. Eu tenho esse feedback das pessoas. Então acabei construindo ao longo da carreira uma imagem muito sólida de seriedade, de ser profissional, de ética profissional, tudo isso só agrega valor e reconhecimento. Fico muito feliz por isso por que é o principal mesmo. Agora eu fui aprendendo com experiência, sozinha mesmo, observando e me observando. É importante à gente ter noção se assistir na TV e ver o que precisa ser feito, o que não está bom, o que precisa melhorar. Então, essa auto-observação e autoanálise é importante. Eu sempre tive isso.

Em 2011 e 2014 você foi escolhida da TNT para apresentar o Red Carpet do Oscar. Conta como foi? Apresentar o Tapete Vermelho do Oscar pra TNT foi um dos trabalhos mais legais que já fiz na vida. Eu fazia o “ao vivo” lá nos Estados Unidos nos estúdios da sede americana da Turner – TNT e a experiência de trabalhar com americanos foi maravilhosa. E o tema cinema é uma grande paixão também. Acho que cinema e música são grandes paixões. E era uma delícia porque o meu trabalho era assistir a todos os filmes para depois poder comentar e então era um grande prazer ir ao cinema trabalhando. Eu ia sozinha no meio da semana assistir ao um filme e isso era um trabalho. Foi muito legal. E trabalhar ao lado de Rubens Ewald Filho realmente foi uma honra, a pessoa que mais entende de cinema no Brasil. Foi um trabalho excepcional, um dos melhores de minha vida.

Você passou por uma difícil experiência ao ser diagnosticada com câncer de mama em 2016. Como foi que você superou a doença? Experiência do câncer de mama foi uma das mais duras e difíceis da minha vida, provavelmente uma coisa que vai ficar marcada para sempre e é um divisor de águas da minha vida porque eu aprendi muito com isso. Aprendi a ser uma pessoa mais serena, uma pessoa mais aberta a outras pessoas e uma pessoa que compartilha coisas pessoais, pois eu sempre fui muito fechada. Agora eu superei isso com fé, com força, esperança, pensamento positivo. Eu sabia que tudo ia dar certo. Tive que ter muita paciência porque é muito difícil, é muito sofrido o tratamento, mas eu sempre tive esperança que tudo ia passar, que ia dar tudo certo. E hoje eu encaro assim como uma missão de levar informação para outras mulheres, de conversar e de levar uma palavra de apoio. Certamente uma experiência sofrida, mas enriquecedora.


Qual é a receita para agradar Sabrina Parlatore? Acho que pra me agradar a pessoa tem que ser calma, tem que saber ouvir, tem que saber falar na hora certa, tem que ter sensibilidade, tem que ter discernimento... É isso, acho eu (risos) e que me dê espaço, que me deixe tranquila onde posso exercitar do lado dela o silêncio, sabe? Acho que é isso.

Você é disciplinada? Como é sua rotina no dia a dia para manter–se em forma? É... Tenho fases em que estou disciplinada e outras fases que não, sabe? Difícil a gente manter a boa forma, se alimentar direito sem cometer excessos. Eu sou comilona, adoro comer. Acho um prazer comer, sair pra jantar, mas a gente tem que controlar mesmo. Então eu procuro assim... Comer saudável eu como, o problema é que gosto de comer bastante, gosto de comer um doce, então eu procuro ter um equilíbrio. Tem dias que eu abuso e aí tem outros dias que dou uma maneirada. E nos exercícios físicos é a mesma coisa: tem épocas que estou super malhando. Eu gosto de fazer, que dizer, preciso fazer musculação. Gosto muito de nadar, gosto muito de fazer ioga... Então, é isso, mas eu gosto de me ver no peso, em forma e quando eu não “tô”, eu me sinto mal. Principalmente depois que acabei de fazer o tratamento do câncer, a quimioterapia. O tratamento me inchou muito, engordei sete quilos. Agora que estou começando a desinchar, estou perdendo peso. Ainda quero perder quatro quilos. É difícil, depois dos 40 a coisa complica sim e muito. Muito difícil para emagrecer, para manter o peso, mas é a vida, né? (risos) Vamos tentando.

O que você gosta de fazer para se divertir? Eu adoro ficar em casa. Na verdade eu me divirto vendo filmes no Netflix que adoro, mas lógico eu gosto muito de viajar. Acho que a grande felicidade é quando tiro férias. Viajo para algum lugar inspirador. Adoro atividades relaxantes, adoro ir pro um spa por exemplo, adoro tomar banho de banheira, adoro receber massagem (risos). Então, adoro essas coisas gostosas, comer bem, tomar um bom vinho. É isso que mais gosto de fazer, me divirto, me deixa feliz.

Você se lançou recentemente como cantora, tendo excursionado pelo país em turnês. Como está sendo conciliar a música com outras atividades artísticas? Eu amo a música. Estou no momento muito feliz em que estou concretizando um grande sonho que é cantar e estou sendo aceita. As pessoas estão gostando do que estão ouvindo e isso que é mais importante pra mim. Conciliar com outras atividades não é fácil, porque demanda muito tempo por tudo. Eu tenho as frentes de: sou cantora, sou apresentadora, sou palestrante... E é difícil conciliar a tudo, mas estou tentando. Estou com agenda bem cheia agora por causa do POPSTAR, mas estou muito feliz. Estou no momento muito feliz profissional depois de tudo que passei. Acho que o POPSTAR foi um presente para mim, programa que foi uma delícia fazer e que está me dando um retorno espetacular, principalmente por mostra pro Brasil inteiro que eu também canto, eu já tenho feito isso há certo tempo e agora estou obtendo um reconhecimento de mais gente e isso é muito legal. Estou com vários shows agendados. Estou bem feliz com esse momento profissional.


Como foi participar do POPSTAR? Foi o maior presente que ganhei profissionalmente nos últimos anos. Foi realmente uma experiência incrível de crescimento, de oportunidade, experiência, uma alegria imensa. O POPSTAR é solar, ele é alegre, ele é astral, as pessoas, todo o grupo, o elenco e produção e direção. Existe uma harmonia tão grande, era uma energia tão incrível rolando, porque a música traz isso. A música ela faz isso com as pessoas, ela mexe coma a alma. Então, trabalhar num programa desses foi uma coisa linda e fazendo uma das coisas que eu mais amo na vida que é cantar. Então estou feliz demais.

Quais são seus projetos para 2018? Projetos... Acho que 2018 vai ser uma extensão do que está sendo 2017, que é justamente essa carreira de cantora. Estou com show que estou preparando agora, estou lançando um clipe, devo gravar um disco no próximo ano, vou continuar as minhas palestras sobre o câncer de mama e como mestre de cerimônias também, que eu apresento bastante eventos, espero continuar fazendo bastante os meus pocket shows também para eventos corporativos. E isso! Acho que tá bom (risos).

Deixe uma mensagem para os leitores da MENSCH... Minha mensagem para os leitores é... Espero que vocês gostem das fotos, espero que meus antigos fãs da MTV estejam gostando dessa minha nova carreira agora de cantora e que eu também conquiste os leitores novos (me sigam @sabrinaparlaoficial). Convido a todos pra curtir a minha música, irem ao meu show e me conhecer também como cantora. É isso! Deixo um grande beijo a todos e espero que gostem do ensaio e da entrevista. Grande beijo.


CRÉDITOS EQUIPE
Fotos Rogério Tonello @rogeriotonello_
Produção Executiva Márcia Dornelles
Stylist Juliana Maia
Produção de Moda Ju Hirschmann
Beleza Anna Costa
Agradecimentos Welberson Soares (colaboração) 
e Skull Bar (locação) @skullbarsp

Sabrina Veste
Look 1: Vestido preto Elisa Lima, scarpin Mundial, acessórios Swarowski; Look 2 (capa): Macacão preto com dourado Carol Bassi, scarpin Shoestock; Look 3: Conjunto de veludo preto Ricardo Almeida, scarpin Arezzo