quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

DESTINO: América do Sul sobre rodas - Com um pé na estrada e muitas histórias para contar

Se viajar é viver, então por que não viver viajando? Foi com esse pensamento que decidimos iniciar nossas aventuras pelo mundo! Nós sempre tivemos vontade de conhecer mais a cultura dos nossos hermanos, sua gastronomia e as belas paisagens do sul do continente. Por isso, quando surgiu a ideia dessa temporada de viagens internacionais, concluímos que explorar a América do Sul, passando por Uruguai, Argentina, Chile, Peru, Equador e Colômbia, poderia ser uma grande experiência e um novo passo para nós.

Como não teríamos orçamento para levar uma equipe conosco, o jeito era encarar sozinhos a missão de gravar dez episódios para a televisão brasileira. Isso nos obrigaria a fazer o trabalho de pelo menos oito pessoas, além de nos desdobrarmos para cruzar os 21 mil quilômetros no continente! A preparação para enfrentar o novo desafio foi de apenas 3 meses, já que queríamos aproveitar a chegada do verão no Hemisfério Sul. Nesse curto espaço de tempo, fizemos a pré-produção de tudo que precisaríamos e fomos obrigados a estipular um cronograma de gravação apertado para cumprir. O roteiro foi planejado em cima das pautas escolhidas em cada país, e a definição da rota foi fundamental para ganharmos as estradas! A verdade é que a gente não tinha a menor ideia do que ia encontrar pela frente.

No decorrer dos 180 dias consecutivos, ajudamos a escavar um dinossauro de 90 milhões de anos, escalamos um dos vulcões mais ativos da América do Sul, visitamos povos que vivem em ilhas flutuantes no Lago Titicaca, praias paradisíacas no Pacífico, geleiras, florestas e muito mais! Foi uma viagem extraordinária, e por termos apenas um ao outro para contar e compartilhar tantas descobertas, nossa relação como casal ficou ainda mais fortalecida.

Como nem tudo são flores, imprevistos acontecem. Mesmo com tudo planejado, nós passamos por algumas situações complicadas, como quando acabamos com as pastilhas dos freios na descida da Cordilheira dos Andes e ficamos atolados com o motorhome em uma estrada de cinzas vulcânicas na Argentina.
Conheça alguns trechos história.

PORQUE AMÉRICA DO SUL

Nós já havíamos realizado uma primeira expedição voando em um monomotor pelo Brasil e queríamos expandir nossas fronteiras e conhecer mais do sul do continente. Foi então que pensamos em fazer uma grande viagem pelos países da América do Sul e gravar a segunda temporada da série para a TV Globo. Nós tivemos apenas três meses de pré-produção e planejamento, foi tudo muito rápido, mas conseguimos fazer toda a pesquisa das pautas, entrar em contato com os entrevistados e definir a nossa rota.

POR VEZES OS ASSUNTOS NOS ESCOLHEM

Nós fizemos uma grande pesquisa sobre os temas interessantes que poderíamos abordar em cada país e região. Tentávamos sempre encontrar duas pautas por país para diversificar os assuntos e diminuir o tempo de deslocamento de uma locação a outra. Mas muita coisa interessante que surgia na rota também virava pauta, como, por exemplo, os bosques petrificados de Sarmiento, com árvores de 65 milhões de anos!





APRENDENDO E LIDANDO COM DIFICULDADES

A primeira dificuldade foi o idioma espanhol, pois saímos daqui falando um "portunhol" improvisado. Fomos, a cada dia, nos aprimorando na língua e no final da expedição estávamos supercontentes por termos conseguido aprender a falar fluentemente o espanhol. A outra dificuldade que tínhamos no decorrer da viagem, era de encontrar campings para pernoitar com o motorhome em algumas localidades não tão turísticas. A América do Sul ainda não tem tanta infraestrutura para este tipo de turismo, mas isso tem um lado bom. A experiência acaba sendo mais íntima e selvagem em diversos lugares, já que essas regiões foram menos exploradas.

DEPOIS DO ESFORÇO, A RECOMPENSA 

Uma das experiências mais marcantes que tivemos durante a viagem, foi quando escalamos o Vulcão Villarrica, na cidade de Pucón, no Chile. Esse é um dos vulcões mais ativos da América do Sul e foram cinco horas caminhando para chegar até o topo da cratera. Este foi o maior exemplo de superação que nós tivemos de passar durante a viagem. Ao longo do percurso, quase desistimos por diversas vezes, pois o trajeto realmente exige muito preparo. Apesar de todo o cansaço, e com muito esforço, conseguimos completar a missão e chegar ao cume do imponente vulcão.



LAR, DOCE LAR POR ONDE FOR

Nossa primeira viagem de motorhome foi pela Nova Zelândia e foi uma experiência inesquecível. O motorhome é ao mesmo tempo o meio de transporte, o “hotel” e o restaurante, já que ele reúne todas as necessidades básicas de uma viagem. Você escolhe onde irá dormir, almoçar e jantar e, por vezes, os lugares podem ser bem pitorescos e fora do circuito turístico. Esse estilo de viagem mudou o nosso conceito de turismo e de vida. Durante a expedição percebemos como algumas “necessidades” de uma cidade grande se tornam desnecessárias no dia a dia e nós aprendemos a viver com muito menos do que o habitual.

AR, TERRA...EM BREVE MAR

Depois de voar pelo céus do Brasil e cruzar as estradas da América do Sul por terra, é hora de desbravar o mar! Já estamos trabalhando no planejamento da terceira temporada da série para fecharmos a trilogia: ar, terra e mar. 


VAI. SONHOS SE REALIZAM NO MOVIMENTO

Uma dica muito importante é definir a data de partida, parece que quando definimos uma meta, as coisas convergem para a realização do objetivo. Uma segunda dica que sempre damos, é não desistir dos seus sonhos. Às vezes pode demorar, pode parecer muito difícil, mas com força de vontade e dedicação as coisas acontecem.

LER TAMBÉM É VIAJAR

Enfim, são tantas aventuras que, além da série na TV, resolvemos lançar o livro "América do Sul Sobre Rodas", onde mostramos nossas dicas da viagem, o roteiro completo que percorremos, as histórias inéditas e as diversas fotos dessa incrível jornada que fizemos pelo sul do continente.