sábado, 23 de dezembro de 2017

ESTRELA: Vanessa Giácomo - Para o ano começar em alto astral


De hábitos simples e personalidade forte, jeito doce e meigo, está ariana de atitude, determinada e aguerrida, Vanessa Mendes da Silva Lima Nascimento, afirma que “ser feliz é AMAR”. Vanessa Giácomo, conta que o nome artístico nasceu em homenagem ao seu avô materno. Quando criança sonhava em ter uma família linda e conquistar na vida tudo que desejasse com seu trabalho de atriz. E assim o fez, ainda muito jovem se formou em artes cênicas e foi em busca da realização dos seus sonhos. Menina carioca de Volta Redonda, de família unida e grande, aos 34 anos, continua sonhando e alçando voos cada vez mais altos. 

Mesmo não gostando de rótulos, ela é uma estrela de pura grandeza, artista inquieta em constante crescente, está sempre buscando se aprimorar, cada dia mais atraída pelo lado oposto das câmeras, afirma “Sempre sonho em fazer bons personagens e amo escrever também. Quero muito aprimorar isso na minha vida!”. 

No ar em Pega-Pega, novela das 19h da globo, onde interpreta a policial linha dura Antônia, teve preparação especial no Projac, com alguns policiais, trabalhando diversas técnicas como aula de tiro, entre outras. Já escalada para viver um dos principais papéis de “Verão 90 Graus”, novela escrita por Izabel de Oliveira e Paula Amaral, aproveitou um tempo entre gravações, a tripla jornada de mãe, a rotina corrida de cuidar de todos que ama, para participar de um ensaio especial de fim de ano para a MENSCH. 




Você escolheu a arte ou a arte lhe escolheu? Tentei ingressar na faculdade de cinema, que foi interrompida com minha primeira novela (Cabocla), que foi um divisor de águas pra mim. Desde então não parei mais. 

Tanto a doce Zuca, sua personagem de estreia na TV, no remake de “Cabocla”, quanto a vingativa Aline de “Amor à Vida”, lhe renderam premiações nacionais importantes. Fale um pouco sobre essa mistura de sentimentos de estrear na Globo e de forma aguerrida conquistou território, como lidou com essa transição? Ser reconhecida por um trabalho é sensacional, mas cada trabalho é um novo desafio. O frio na barriga volta com tudo e o coração acelera sempre. Isso nunca vai mudar! 

Ser atriz no Brasil é...? Eu sempre pensei em ser atriz! Ser atriz no Brasil é um luxo! Sou privilegiada de trabalhar com o que amo. 

Você está trilhando novos caminhos no cinema, lançando-se como roteirista, com curta-metragem o "Rodízio". O que fez você se interessar por esta linguagem para se expressar? Conta um pouco sobre seu processo criativo, como nasceu a ideia do roteiro e como ele se transformou em realidade? Eu sempre escrevia roteiros e deixava em uma gaveta. Um dia resolvi arriscar, porque é uma paixão que eu tenho. Preciso me expressar dessa maneira também, criando personagens, histórias.


Como é sua relação com o cinema? É uma paixão nova ou um amor antigo que está sendo conquistado e amadurecido com os anos? Eu sou apaixonada pelo cinema também. Nunca fiz filmes, só por se tratar de cinema. Faço personagens que me apaixono! 

Para você que está se aproximando do backstage do cinema, como está percebendo a produção de cinema no Brasil atualmente? Nunca me aventurei como produtora. O “Rodízio” eu tive ajuda dos meus colegas, que compraram a ideia e embarcaram comigo.

Você é uma jovem profissional múltipla, de sucesso reconhecido, mãe de três filhos com faixas etárias muito próximas ainda pequenos (9, 7, e 2), como concilia a rotina de mãe com as atividades profissionais? Eu consigo aproveitar cada segundo da minha vida. Não perco tempo com besteiras, sou bem prática. O tempo com a minha família é sagrado! 

Como é sua relação com recursos eletrônicos e redes sociais? No ambiente digital você é considerada celebridade, sente-se confortável neste personagem, ou prefere a de formadora de opinião? Não gosto de rótulos! Celebridade, formadora de opiniões... se tiver que me rotular, prefiro ser chamada de artista. Porque eu tenho muito amor ao ofício! Não tenho absolutamente nada contra aos que preferem ser considerado celebridade, ou formadores de opinião. Só acho que podemos ser múltiplos e rótulos nos limitam. 

Como se posiciona na educação dos filhos em relação ao tema? Meus filhos sabem tudo o que precisam saber com a idade deles. Não pulo etapas, acho que precisamos preparar os filhos para o mundo, mas pra tudo tem uma idade certa de discernir as coisas.

Como definir estilo? Qual é o seu? Eu acho que estilo, é você vestir aquilo que gosta e se sente bem. Meu estilo é mais clássico, mas não me privo de usar aquilo que me apaixono, seja a tendência do momento ou não.